Prefeitura monitorará vagas de acolhimento para pessoas vulneráveis​Prefeitura monitorará vagas de acolhimento para pessoas vulneráveis

Na manhã de 27 de março, o prefeito Ricardo Nunes inaugurou a sede da Coordenação de Pronto Atendimento Social (CPAS). Com esse equipamento, a cidade de São Paulo passa a ter uma central que dispõe de uma sala de situação para acompanhar o trabalho dos agentes do Serviço Especializado de Abordagem Social (Seas) e o monitoramento em tempo real das vagas de acolhimento.

A Prefeitura informa que o novo sistema permite o acesso imediato a informações da pessoa abordada, como seu histórico na rede socioassistencial e quais os motivos para estar em situação de rua, e do território a ser feito o encaminhamento, como o número de abordagens, os encaminhamentos realizados, dados demográficos do público acolhido e outros.

“A gente não tinha um sistema informatizado que se comunicasse, em que a gente pudesse dar agilidade nesse atendimento. Agora temos um software onde temos todas as vagas disponíveis na cidade”, explicou Ricardo Nunes, acrescentando que com o sistema é possível identificar as vagas por perfil de necessidade, como idosos, pessoas com deficiência, homens trans ou família. “Antes isso era feito por telefone e os agentes abordavam com planilha. Agora tem o tablet com esse software, onde esse dado é colocado georreferenciado e o sistema define as possibilidades de vagas”, disse o prefeito.

De acordo com o secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Carlos Bezerra Jr., além da agilidade no atendimento, o novo serviço oferece uma maior qualidade das informações dessa população. “Os dados são georreferenciados e apontam onde estão as pessoas, onde devem ser abordadas, que tipo de pessoas para que a gente possa determinar quais as melhores políticas públicas para o acolhimento”, afirmou.

O local tem também três salas para auxílio às equipes de Seas, que vão utilizá-las para atividades do pronto atendimento a calamidades, e para a equipe de monitoramento da Central de Vagas. O prédio dispõe ainda de auditório para capacitação dos funcionários do próprio serviço.

Gerido diretamente pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads), o equipamento foi implantado em imóvel locado, com 1.327 m² distribuídos em cinco pavimentos e recebeu investimento de R$ 849.938,71 em adaptações, como a instalação de novos sistemas hidráulico, elétrico e de impermeabilização, além de ter pintura e alvenaria renovadas, elevador, rampas de acessibilidade e banheiro acessível, de acordo com a Prefeitura.

Com capacidade para mil atendimentos diários, o serviço conta com uma equipe de 235 profissionais, entre eles servidores, orientadores e profissionais do Seas, motoristas e atendentes da Central de Vagas.

O equipamento presta assistência permanente à população em vulnerabilidade social impactada por situações de emergência ou calamidade pública, como incêndios, desabamentos, destelhamentos, deslizamentos, alagamentos e frentes frias. Nele, são centralizadas informações e colocadas em prática ações de atendimento imediato às vítimas.

Além desse trabalho, a CPAS gerencia as solicitações de suporte às pessoas em situação de rua e admissão via Central de Vagas para o acolhimento de adultos, crianças e adolescentes.

O serviço está localizado à avenida José Maria Whitaker, 290, na Vila Clementino, zona Sul da capital.

O post Prefeitura monitorará vagas de acolhimento para pessoas vulneráveis apareceu primeiro em Notícias da Região.

[[{“value”:”Na manhã de 27 de março, o prefeito Ricardo Nunes inaugurou a sede da Coordenação de Pronto Atendimento Social (CPAS). Com esse equipamento, a cidade de São Paulo passa a ter uma central que dispõe de uma sala de situação para acompanhar o trabalho dos agentes do Serviço Especializado de Abordagem Social (Seas) e o monitoramento
O post Prefeitura monitorará vagas de acolhimento para pessoas vulneráveis apareceu primeiro em Notícias da Região.”}]]