Paul Alexander: A Jornada Inspiradora do Homem que Desafiou a Poliomielite no Pulmão de Ferro

Paul Alexander, um americano que se tornou emblemático por sua sobrevivência à poliomielite e vida dentro de um “pulmão de ferro”, faleceu aos 78 anos, na terça-feira, 12 de março. Diagnosticado com poliomielite aos 6 anos, em 1952, Alexander enfrentou a paralisia do pescoço para baixo e a incapacidade de respirar sem assistência. Isso o levou a passar sua existência dentro de um cilindro metálico, um substituto artificial para a função pulmonar, após uma cirurgia.

Apesar de suas limitações físicas, Alexander alcançou grandes feitos: graduou-se em direito, atuou como advogado e escreveu diversos livros. Sua morte foi divulgada por um site que arrecadava fundos em seu nome, destacando o impacto inspirador de sua história ao redor do mundo. Paul é lembrado como um ícone de perseverança.

A expectativa de vida para indivíduos acometidos por poliomielite e dependentes de pulmões de ferro era tipicamente baixa. Contudo, Alexander desafiou essas expectativas, vivendo por décadas, inclusive após a introdução de vacinas contra a poliomielite nos anos 1950, que significativamente reduziram a prevalência da doença. A transição para ventiladores mecânicos nos anos 1960 tornou os pulmões de ferro obsoletos, mas Alexander preferiu manter-se no dispositivo com o qual se acostumara.

Ele é reconhecido pelo Guinness World Records como a pessoa que mais tempo viveu em um pulmão de ferro. Durante sua vida, Alexander desenvolveu técnicas para respirar sem o auxílio do aparelho por breves momentos. Ele chamava o pulmão de ferro de “velho cavalo de ferro”, uma referência à sua confiabilidade e ao sistema que alternava pressão para simular a respiração.

Alexander concluiu sua graduação em direito pela Universidade do Texas em Austin em 1984 e foi admitido na Ordem dos Advogados dos Estados Unidos dois anos depois, exercendo a profissão por muitos anos. Ele expressou ao The Guardian em 2020 que qualquer conquista em sua vida precisaria ser no âmbito intelectual. Seu livro de memórias, que demorou oito anos para ser concluído com a ajuda de um amigo e de um bastão para digitar, é um testemunho de sua jornada notável e do legado duradouro que deixa para trás.

A postagem Paul Alexander: A Jornada Inspiradora do Homem que Desafiou a Poliomielite no Pulmão de Ferro apareceu primeiro em Jornal Digital da Região Oeste.

​[[{“value”:”Paul Alexander, um americano que se tornou emblemático por sua sobrevivência à poliomielite e vida dentro de um “pulmão de ferro”, faleceu aos 78 anos, na terça-feira, 12 de março. Diagnosticado com poliomielite aos 6 anos, em 1952, Alexander enfrentou a paralisia do pescoço para baixo e a incapacidade de respirar sem assistência. Isso o
A postagem Paul Alexander: A Jornada Inspiradora do Homem que Desafiou a Poliomielite no Pulmão de Ferro apareceu primeiro em Jornal Digital da Região Oeste.”}]]