Fragilidade: O Envelhecimento e Atividade Física

Olá tudo bem com você?

A fragilidade humana vem acompanhada por diversas alterações ocorridas no processo do envelhecimento provocando declínios funcionais como o desequilíbrio, quedas mais frequentes, diminuição da mobilidade diária e outras alterações que ocorrem nos órgãos e tecidos.

A Ciência, ao longo dos tempos, vem investigando quais ações teriam maior efeito sobre essas alterações.

Sabemos que praticar hábitos saudáveis diariamente ao longo da vida, pode atenuar os efeitos prejudiciais ocorridos no envelhecimento evitando o aparecimento ou o agravamento de doenças crônicas que podem causar danos irreversíveis na qualidade de vida e na saúde do indivíduo.

Muito além dos hábitos saudáveis praticados diariamente, nos últimos 10 anos, a intervenções sobre a fragilidade humana e o envelhecimento estão baseadas nos exercícios físicos como forma de melhorar ou até mesmo reverter essas alterações.

Um idoso fragilizado devido ao longo repouso diário e comportamento sedentário, diminui sua capacidade física, a coordenação motora, a coordenação e a força muscular, rebaixa a sua capacidade cardiovascular e promove aumento dos riscos a vida.

Os exercícios que necessitam fazer força contra algum tipo de resistência, além de ser mais seguros e eficientes, nos idosos mais ativos ou mais fragilizados por alguma doença, possuem respostas biológicas importantes que revertem esse processo de fragilidade permitindo maior independência e ressocialização familiar.

Um idoso mais forte muscularmente falando, de modo geral, também se torna mais forte emocionalmente para enfrentar as limitações que podem aparecer a medida que o se envelhece.

A atividade física, proporcionar novas conexões cerebrais melhorando as funções cognitivas, o raciocínio e a compreensão da necessidade de manter-se fisicamente ativo com exercícios apropriados para cada indivíduo em diferentes fases da vida com ou sem doenças.

Engana-se quem possa estar pensando que é necessário fazer atividades físicas todos os dias para sentir os benefícios de ter mais qualidade de vida. Praticar exercícios físicos 2 vezes por semana por 40 minutos, já é suficiente para atenuar as alterações ocorridas no envelhecimento.

Um estudo recente, avaliou mais de 120 mulheres por 3 meses com 60 minutos de exercícios por semana, 2 vezes por semana incluindo 30 minutos de fortalecimento muscular e 20 minutos de atividades que incluíam treino de marcha e equilíbrio. Após esse treinamento supervisionado, 57,6% dos participantes, foram reclassificados como não frágeis.

E então, vamos malhar um pouco e curtir mais o envelhecimento de forma saudável e com menos limitações?

Forte abraço, cuide-se bem e conte comigo sempre!

 

Fonte: Taylor JA, Greenhaff PL, Bartlett DB, Jackson TA, Duggal NA, Lord JM. Multisystem physiological perspective of human frailty and its modulation by physical activity. Physiol Rev. 2023 Apr 1;103(2):1137-1191. doi: 10.1152/physrev.00037.2021. Epub 2022 Oct 14. PMID: 36239451; PMCID: PMC9886361.

 

Dr. Robson G. Mailho

Fisioterapeuta e Colunista do Jornal Digital da Região Oeste

Instagram: @fisiopersonalizada

A postagem Fragilidade: O Envelhecimento e Atividade Física apareceu primeiro em Jornal Digital da Região Oeste.

​Olá tudo bem com você? A fragilidade humana vem acompanhada por diversas alterações ocorridas no processo do envelhecimento provocando declínios funcionais como o desequilíbrio, quedas mais frequentes, diminuição da mobilidade diária e outras alterações que ocorrem nos órgãos e tecidos. A Ciência, ao longo dos tempos, vem investigando quais ações teriam maior efeito sobre essas
A postagem Fragilidade: O Envelhecimento e Atividade Física apareceu primeiro em Jornal Digital da Região Oeste.